aquarela - foto materiais básicos
Jornada Aquarelada

Jornada Aquarelada #1 – Materiais básicos para aquarela

Olá pessoal, como vão? Hoje vim falar um pouco sobre o material básico para a prática de aquarela. Já havia falado que fazia aula no post de apresentação do blog, onde explico melhor sobre as categorias escolhidas. Como eu mesma sou iniciante no assunto, vou me guiar pelo que me foi passado pelo ateliê onde pratico e pelo que vi em outros blogs de pintoras mais experientes. O mais importante, no entanto, é estar disposto e ter vontade de aprender. Vamos lá!

Tintas

Em primeiro lugar, vou falar das tintas. Pode parecer lugar comum, mas para quem está começando é importante lembrar que elas tem que ser aquareláveis. Existem diferentes tipos e na hora de pedir na papelaria do seu bairro a própria vendedora pode não saber qual é, mas estará escrito na embalagem aquarelável ou “watercolor”.
Então, para não confundir, adianto que elas são divididas em três categorias: Estudante, Semi-Profissionais e Profissionais. As mais indicadas para os iniciantes são, como você já deve ter adivinhado, as escolares. A marca mais indicada por aqui é a Pentel. Ela possui estojos que variam na quantidade de cores, mas o ideal é o de 12 cores. Mesmo que exista uma opção com mais, é bastante interessante para estudantes explorarem suas cores, fazendo misturas entre elas nos exercícios e criando tonalidades novas e personalizadas.
No entanto, uma busca rápida no Google pode te informar que um estojo de 12 cores da Pentel está custando hoje um pouco menos de R$30. Esse valor pode assustar algumas pessoas, considerando que a ele somaremos o custo dos pincéis e do papel. E, não querendo desanimar, mas na aquarela você usa bastante suas tintas.
Daí que você pode zanzar pelas papelarias do seu bairro e encontrar algum estojinho de aquarelas bem mais em conta. Só que estas tintas até podem ser mais baratas, porém serão igualmente frustrantes uma vez que não possuem boa pigmentação. Imagina você levar pra casa seu material, começar a pintar e… Não sair quase nada de cor? Desanimador, né? Então para não correr esse risco, eu recomento a Pentel mesmo, que embora não seja a melhor das tintas para estudantes, é a mais indicada.
Ainda existem no Brasil outras marcas para estudantes que são famosas, como a  Koh-i-noor ou a Sakura. Ambas sendo em pastilha, mantenho a indicação acima, pois tintas em bisnagas facilitam o trabalho do aprendiz de pintor, na minha opinião.
Por fim, quando você tiver uma viagem marcada para o exterior, recomendo comprar tintas de uma linha semi-profissional. Elas são um pouco mais caras, mas é muito satisfatório trabalhar com elas. Apenas assista esse vídeo  da Mariana Cagnin testando algumas tintas dela, que a diferença se faz gritante. Uma alternativa se você não estiver com muito dinheiro é comprar separadamente as 3 cores primárias de uma linha melhor. Depois é só misturá-las para obter novas cores, porque afinal com amarelo, ciano e magenta, ou seja, as cores primárias, você consegue as secundárias e por aí em diante, fazendo inclusive variações de cada cor colocando mais ou menos tinta na mistura. Assim você terá vários tons a um preço camarada, mesmo que em menor quantidade de cada.
Se quiser mais sobre sobre tintas indico este post da Kris Efe, completíssimo.
foto estojo pentel

Pincéis

Outro material indispensável para a prática da aquarela é o pincel. Eles podem ser divididos basicamente entre naturais e sintéticos. Os naturais geralmente são mais macios e pegam mais água, porém são feitos dos pêlos de animais, comumente a Marta. Se você não vê problemas nisso, siga com eles, já eu prefiro os sintéticos que não perdem qualidade e podem até ser mais baratos.
O importante aqui é escolher modelos específicos para aquarela, e cada marca terá sua linha especial. A marca tigre, por exemplo tem a linha Pictore. Uma linha famosa da marca Keramic é a 705. Vale pesquisar para descobrir novas marcas e para checar o preço, que pode variar bastante de uma loja para outra.
Existe também o pincel com reservatório de água, o “waterbrush”, que parece uma caneta de liquid paper: você aperta um pouco para a água sair e poder usar. Parece ser bem legal, ainda não testei mas espero ter a oportunidade em breve.
Se quiser mais dicas de pincéis você pode clicar aqui.

Papéis

Por último, porém  não menos importante, temos os papéis. E não são menos importante mesmo, viu gente, porque também fazem bastante diferença no resultado final da sua pintura. Existem os feitos de algodão, que são os melhores e os de celulose, mais acessíveis e, portanto, os recomendados para nós iniciantes. Eles podem ainda ser prensados a frio ou calor.
Independente destas características, é importante que ele tenha gramatura de 300g/m² (ou mais) e ser livre de ácido. Isto é para garantir que ele vá aguentar a água que você precisará colocar nele, afinal a arte se chama AQUArela né rs. Os de 200, 250g/m² até aguentam um pouco de água, mas correm o risco de enrugar e ninguém quer isso.
A indicação mais acessível aqui é o bloco da linha universitária da Canson, que atende os pré-requisitos acima de acidez e gramatura, vem com 12 folhas e também custa por volta de R$30.
Este vídeo de comparação de papéis é muito legal e eu recomendo o clique para quem quiser saber mais a respeito, a demonstração prática começa aos 10’30”.
foto desenhos

Outros itens

  • Godê – que tem esse nome chique, mas nada mais é que uma bandeja aonde você deposita suas tintas e faz as misturas com água (o material tem que ser impermeável, fora isso, muita gente usa caixinha de remédios estilo porta-cápsulas, bandeja de gelo ou pratos)
  • Lenço – para tirar o excesso de água e limpar seu pincel, pode ser papel toalha também.
  • Copo ou recipiente com água – porquê né?! rs
  • Estojo para pincéis – protege as cerdas dos pincéis e evita que eles manchem sua mochila
  • Pasta – para transportar seus trabalhos sem amassar
  • Prancheta – para apoiar e dar firmeza ao papel
  • Lápis e borracha – para fazer seus rascunhos
  • Fita crepe – porquê além de evitar que o papel enrugue quando absorver a água, permite deixar uma borda na sua pintura e evita que a tinta vaze. A comum serve, se você gastar a cola aplicando a tira algumas vezes em qualquer superfície. Existe a fita crepe azul, específica para isso, que não machuca o papel ao ser retirada, mas ela custa por volta de R$15.
Para concluir, indico que você não invista muito dinheiro se não tem certeza se gosta mesmo de aquarela. Uma vez que você saiba que quer seguir na prática, seja de forma profissional ou amadora como eu, aí sim você pode investir um pouco mais. De qualquer forma, para seus estudos em qualquer fase do aprendizado, material mais barato dá menos dó de gastar, né? Rs
Se você também pinta ou tem vontade de pintar, comenta aí! E se tiver mais dicas, eu vou adorar saber!
Beijos,
mila

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *